Publicações

PUBLICAÇÕES


A Operação do Futuro Setor Elétrico Brasileiro

Mário Menel – MegaWhat (10/07/2020)

Nos anos 1970, os planejadores da Companhia Energética de Brasília (CEB), coordenados pelo Engenheiro Paulo Victor Rada de Rezende, definiram as faixas de passagem para as linhas em tensões de subtransmissão. Leia a íntegra.

Transmissão em Corrente Contínua: Impactos de seu Uso

Pedro Prescott – Estadão (22/06/2020)

No Brasil existem usinas distantes do centro de carga, o que torna vantajosas as linhas de transmissão de energia elétrica em corrente contínua. Em relação à corrente alternada, a transmissão em corrente contínua proporciona redução de perdas e de custos para grandes distâncias. Leia a íntegra.

A Segurança das Barragens Brasileiras e os Atores Envolvidos

Renata Messias Fonseca e Júlia Heidrich Sagaz – Estadão (20/03/2020)

O tema segurança de barragens, apesar de há muito ser debatido nos setores regulados, tornou-se popular apenas em 2015, quando do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, Minas Gerais. Naquela oportunidade, iniciou-se no Congresso Nacional um movimento visando à alteração da Lei de Segurança de Barragens, tendo sido apresentados ao menos dois projetos de lei nesse sentido, os quais pouco evoluíram nos primeiros anos após o acidente. Leia a íntegra.

Incentivos à Competição por Oferta de Preços no Curto Prazo

Pedro Prescott e Paulo André Sehn – Paranoá Energia (27/02/2020)

Iniciativas de competição por oferta de preços no curto prazo têm crescido no Sistema Interligado Nacional, indicando caminhos para o amadurecimento do Setor Elétrico Brasileiro. Lei a íntegra.  Leia a íntegra.

PCH’s: Chance única e imediata para o Brasil

Maurício Corrêa – Paranoá Energia (15/10/2019)

O Leilão A-6 está marcado para o dia 18, nesta sexta-feira. Ainda é tempo mais do que suficiente para que os agentes econômicos possam perceber que esta será uma oportunidade única para o nosso País se transformar quase que imediatamente em um grande canteiro de obras, com geração de empregos e renda em muitas partes do território nacional. Portanto, não pode ser desperdiçada.  Leia a íntegra.

Constrained-off e vertimentos turbináveis

Pedro Prescott – CanalEnergia (12/08/2019)

A regulamentação do constrained-off carece de isonomia entre as fontes de geração – a não compensação dos vertimentos  turbináveis aprofunda os prejuízos das hidrelétricas.  Leia a íntegra.

O GSF e suas companhias

Mário Menel – Brasil Energia (08/07/2019)

O que se conclui dessa jornada é que o dispositivo que fornece o comando legal para a solução do GSF nunca foi objeto de debate ou de discordância entre os parlamentares.  Leia a íntegra.

Reserva de Potência Operativa e o mercado de serviços ancilares

Paulo Sehn – CanalEnergia (22/05/2019)

Reserva de Potência Operativa é a parcela de geração utilizada pelo Operador do Sistema na realização do controle de frequência a fim de compensar desequilíbrios de carga e geração em curtos espaços de tempo. Em razão dessas particularidades, o controle de frequência é caracterizado como um serviço destinado a prover confiabilidade elétrica ao sistema. E isso tem um custo. As principais prestadoras do serviço de controle de frequência no Brasil são as usinas hidrelétricas participantes do chamado Controle Automático de Geração (CAG). Para tanto, aloca-se uma folga de geração de cerca de 4.000 MW (4% da carga, mais 6% da geração eólica no NE e mais 15% da geração eólica no Sul) nessas usinas de modo a atender a possíveis desvios de carga e geração. A essas usinas são ressarcidas apenas despesas com equipamentos, manutenção e operação, sem considerar o custo de oportunidade de colocação dessa energia no mercado de curto prazo, ou mesmo o impacto no MRE. Esse arranjo fez com que, por muito tempo, não se percebesse o valor financeiro da RPO no SIN. Para ler a íntegra, clique aqui.

O setor elétrico brasileiro

Mário Menel – Estadão (26/02/2019)

Muito se tem escrito sobre o setor elétrico brasileiro, seu modelo de gestão, governança, heranças e sobre interferências governamentais indevidas. Tem sido elencado, enfim, uma série de fatores que levam a um único e unânime diagnóstico: o modelo setorial necessita ser revisto, modernizado, adaptado às novas condições tecnológicas e operativas. Precisa preparar o ambiente para o seu funcionamento harmônico no futuro. Veja mais

Resposta pelo lado da demanda

Fernando Pappas – TCC (05/12/2018)

Em 05 de dezembro de 2018, o especialista Fernando Pappas defendeu seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Por meio de ferramentas de otimização, o trabalho analisa as vantagens econômicas advindas da resposta da demanda com a implementação dos preços horários de energia elétrica, bem como o comportamento dos consumidores livres em resposta à futura discretização de preços. O trabalho teve orientação do Professor Rafael Shayani (UnB) e coorientação do Diretor de Energia da ABIAPE Marcelo Loureiro e utiliza dados da chamada “Operação Sombra” da CCEE e do ONS para suas simulações. Para ler a íntegra do texto, clique aqui.

A Transmissão e a Busca pela Eficiência

Pedro Prescott – CanalEnergia (28/09/2018)

A relação custo-benefício dos investimentos na transmissão de energia precisa ser avaliada sob a ótica da eficiência global. Uma análise integrada entre o mercado e a transmissão é essencial para maximizar o bem-estar da sociedade. Veja mais

Rigor no FID em prol da eficiência no MRE

Pedro Prescott – CanalEnergia (27/06/2017)

As ferramentas de eficiência como a aplicação do FID (MRA) devem ser reforçadas para resguardar a vitalidade do MRE. Veja mais